53 formas de curtir Brasília

19 de Abril de 2013
Tendências

No domingo, 21 de abril, Brasília completa 53 anos. Para comemorar a data, o Blog do Casa reuniu 53 dicas de roteiros imperdíveis indicados por arquitetos e designers de interiores que moram na capital federal. São palácios, parques, bares, restaurantes e locais que levam a reflexão e o contato direto com a natureza. Tudo sem sair do quadrilátero. Listamos tudo em ordem alfabética e assim fica mais fácil pra você saber se o seu lugar preferido está nesta lista.

01

01. Bar Brasília

“Amo a feijoada do Bar Brasília. Pra mim é a melhor da cidade.” Carol Montiel, arquiteta e urbanista.

No ano de 2002, nasceu um cantinho em Brasília que reluz na esquina da 506 Sul. Num ambiente que remete aos botequins do Rio de Janeiro dos anos 50, o privilegiado frequentador saboreia pratos caprichados e acepipes que acompanham a grande estrela da casa: o chope bem gelado. O freguês faz uma viagem no tempo através da decoração que exibe objetos de antiquários como, uma estante do ano de 1928 e um lustre que pertenceu ao primeiro prédio do Banco do Brasil, em São Paulo, além de fotos e painéis que contam um pouco da história de Brasília. Durante o almoço, de quarta a domingo, o bar serve pratos a la carte com um menu diferente a cada semana, às sextas e aos sábados o bufê é de feijoada.

Onde fica: SHCS 506 Bloco A, Loja 15, Asa Sul
Funcionamento: Segunda e terça, das 17h30 às 2h. Quarta a domingo, das 11h30 às 2h.
Telefone:(61) 3443-4323
Site: www.barbrasilia.com

02

02. Beirute

“Para tomar uma cerveja bem gelada acompanhada de um quibe saboroso, o Beirute é sempre uma ótima opção.” Carol Montiel, arquiteta e urbanista.

Além de tradicional, o Beirute, ou Beira para os íntimos, é considerado um dos melhores botecos de Brasília. Estão lá, por exemplo, a camaradagem dos atendentes, trajados com o indefectível smoking vermelho, o balcão de inox, as garrafas de cerveja na geladeira e os tira-gostos. Classificada pelo proprietário Francisco Dantas, mais conhecido como Chiquinho, como uma “embaixada da liberdade”, o Beirute tem uma clientela diversificada, composta por moradores da quadra e de vários pontos da cidade, e reúne intelectuais – verdadeiros e pseudos—, universitários – jovens e eternos, gays, héteros, políticos e toda a boemia da cidade. E não se deixe enganar, o Beirute de raiz fica na 109 Sul. A casa tem uma filial na Asa Norte, mas não tem o mesmo clima do Beira original, old school.

Onde fica: CLS 109 Bloco A, Asa Sul
Funcionamento: Domingo a quarta, de 11h até 2h.
Telefone: (61) 3244-1717

03

03. Bendito Suco

“Ao lado do Parque Olhos D’água na Asa Norte, o Bendito Suco é o lugar que recomendamos para um programa light.”Flávio Werneck e Glory Barreto, arquitetos.

Um lugar ideal para passar momentos agradáveis com seus amigos, bem ao lado do Parque Olhos D’agua, o Espaço Bendito Suco oferece um ambiente aconchegante, um amplo menu de sucos nutritivos e saudáveis. A decoração é um espetáculo a parte. Todas as paredes e o mobiliário foram feitos pelo artista plástico Nemm.

Onde fica: CLN 413 Bloco E Loja 19, Asa Norte
Telefone: (61) 3039-1600.
Site: http://www.benditosuco.com.br

04

04. Bistrô Bom Demais

“O Bistrô é muito bom para um lanchinho após uma visita às exposições no CCBB.” Sonia Lacombe, designer de interiores.

Localizado no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), o Bistrô Bom Demais oferece diversas opções de salgados e panquecas, além de deliciosos expressos e cappuccinos. Uma refeição rápida pode casar o sanduíche Oscar Niemeyer (de rosbife com gorgonzola, tomate confit e folhas verdes) com o café latte com avelã. Há ainda, pratos como o risoto de camarão. O local divide espaço com a livraria Dom Quixote, repleta de livros de arte.

Onde fica: CCBB – SCES, Trecho 02, lote 22
Funcionamento: De terça a domingo, das 12h às 22h.
Telefone: (61) 3310-7087

05

05. Brasília Palace Hotel

“O hotel chama a atenção pela integração entre arte, arquitetura e a paisagem. É um lugar muito agradável e inspirador. Recomendo!” Luciano Pena, arquiteto e urbanista.

Projetado por Oscar Niemeyer e fundado em 1958 pelo presidente Juscelino Kubitschek, o Brasília Palace Hotel tem uma bela história de glamour e estilo que marcou a vida de Brasília nos anos 50 e 60, e hoje se tornou uma charmosa alternativa de hospedagem na capital federal. No hotel estão dois painéis do artista plástico Athos Bulcão que, em função da importância para a cultura nacional, foram tombados pelo patrimônio Histórico. Localizado às margens do Lago Paranoá, próximo do Palácio da Alvorada, e com extensa área verde, o hotel proporciona a sensação de tranquilidade, sem estar longe da região central de Brasília.

Onde fica: SHTN, Trecho 1, Lote 1
Telefone: (61) 3306-9100
Site: http://www.brasiliapalace.com.br

06

06. Catedral Metropolitana

“Para mim é o ponto turístico mais lindo da cidade, tanto por fora como por dentro. Toda vez que vou, me emociono.”Alessandra Fatureto, arquiteta.

“Obra de Oscar Niemeyer, nosso consagrado arquiteto. É sempre bom admirar a beleza da Catedral e sentir paz e tranquilidade sob os anjos!” Walleria Teixeira, arquiteta e designer de interiores.

“Sou absolutamente apaixonada por todo o conjunto da Catedral, desde a entrada em declive às sussurrantes paredes curvas que transmitem o som de um lado a outro como se estivéssemos bem pertinho. Sem falar nos vitrais coloridos, nos anjos que nos guardam do alto, e da luz que entra e preenche tudo. Amo muito!” Cynthia Rondelli, arquiteta.

“Adoro entrar na Catedral. Para mim é uma obra prima de Niemeyer! Não existe em nenhum lugar no mundo algo assim. Fazer o caminho escuro para chegar na luz e ver os anjos é impressionante. Fico em estado de êxtase quando estou dentro desta maravilha. Quando rezo, sempre agradeço por estar ali.” Rosane França, arquiteta e designer de interiores.

A Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida, mais conhecida como Catedral de Brasília, foi projetada por Oscar Niemeyer e inaugurada em 1970. De planta circular e constituída por 16 pilares curvos, a Catedral recebe luz natural através dos vitrais criados por Marianne Peretti. O acesso é feito por uma passagem subterrânea, que leva o visitante da escuridão quase total à luz plena. Quem visita a Catedral tem a oportunidade de ver um expressivo acervo de arte: peças de Athos Bulcão, Di Cavalcante e os impressionantes anjos de Alfredo Ceschiatti.

Onde fica: Esplanada dos Ministérios
Visitação: Todos os dias, das 8h às 18h .
Missas: De terça a sexta, às 12h15 e às 18h15. Sábado, às 17h. Domingo, às 8h30, 10h30 e 18h.
Telefone: (61) 3224-4073

07

07. Catetinho

“É muito interessante, porque além do prédio do Catetinho ter toda uma história, no entorno dele há várias nascentes de água, que inspiraram Tom Jobim e Vinícius de Moraes a compor a canção Água de Beber, que ao ouvi-la me recordo de uma época muito boa da minha vida.” Maria do Carmo Araujorge, arquiteta.

Projeto de Oscar Niemeyer, o Catetinho foi a primeira residência oficial do presidente Juscelino Kubitschek em Brasília. O nome é uma ligação com a então residência oficial do presidente, o Palácio do Catete, no Rio Janeiro. Foi construído em apenas 10 dias, em novembro de 1956. É um prédio simples, feito de madeira. Foi planejado sem conforto ou honras oficiais, para que o presidente não se distanciasse dos trabalhadores, que viviam em barracos e tendas. Ainda hoje de pé, os visitantes podem circular por alguns cômodos, como a antiga suíte presidencial, a sala de despachos, o quarto dos membros do governo, o quarto de hóspedes e a sala de refeições, no térreo. Localizado na BR 040, na altura do Trevo do Gama, o Catetinho foi tombado pelo SPHAN, atual IPHAN, em 1959.

Onde fica: Rodovia BR 040, Km 0, S/N, Trevo do Gama
Funcionamento: De terça a domingo, das 9h às 17h.
Telefone: (61) 3338-8694

08

08. Centro Cultural Banco do Brasil

“Temos, eu e minha companheira e sócia Glory Barreto, vários locais em Brasília que gostamos de frequentar. Quando se trata de programas culturais temos uma certa paixão em comum: Ir ao CCBB no final da tarde, apreciar as exposições e eventos culturais para depois sentar e tomar um café.” Flávio Werneck e Glory Barreto, arquitetos.

“Além da arquitetura e vista da ponte JK, o CCBB nos dá a garantia de excelentes exposições de arte, mostras de cinema e teatro.” Luciano Pena, arquiteto e urbanista.

“Ir ao Centro Cultural Banco do Brasil é maravilhoso. Uma visita que nos encanta tanto pelas exposições e os filmes, como, também, pelo próprio espaço arquitetônico.” Beta Pollis, arquiteta.

“Eu gosto principalmente de ir lá no final da tarde para lanchar, ver as exposições. É um lugar que tem arte e é muito aprazível, por causa da visão do lago e da ponte.” Maria do Carmo Araujorge, arquiteta.

“O CCBB é onde você se conecta com diversas maneiras de cultura, seja em exposições ou apresentação de peças teatrais infantis e adultas. É cultura para ser apreciada por todas as classes sociais!” Walleria Teixeira, arquiteta e designer de interiores.

“Também frequento o CCBB e sempre tenho a sensação de renovação do olhar”, Vicente Ozumi, designer de interiores.

“O CCBB é o lugar de Brasília onde realmente encontramos cultura. Sem falar na arquitetura e a vista de lá que é muito boa.” Rodrigo Biavati, arquiteto.

“O Centro Cultural Banco do Brasil tem sempre boas exposições e filmes alternativos ótimos. É um local que eu indico sempre!”, Sonia Lacombe, designer de interiores.

Eleito pela maioria dos arquitetos como um lugar imperdível para se conhecer em Brasília, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), é referência em atividades culturais e de arte-educação, contemplando as áreas de artes cênicas, cinema, exposições, música, ideias e programas educativos. A agenda conta ainda com uma programação específica para crianças e pessoas com necessidades especiais. Por suas galerias já passaram obras de artistas como Andy Warhol, Keith Haring, Alex Flemming e Maria Bonomi. O CCBB fica no Setor de Clubes Sul, na descida para a Ponte JK (Trecho 02, lote 22).

Onde fica: SCES Trecho 02, Lote 22.
Funcionamento: de terça a domingo, das 9h às 21h.
Telefone: (61) 3108-7600
E-mail: ccbbdf@bb.com.br
Site: http://migre.me/dYAFE

09

09. Chapada Imperial

“Passeio incrível por cachoeiras e belíssimas visões do cerrado, em meio à sua rica fauna. A Cachoeira Rainha tem queda de vinte metros e a Chapada fica a apenas 50 minutos do Plano Piloto”. Cynthia Rondelli, arquiteta.

Localizado a 50km do centro de Brasília, no ponto mais alto do Distrito Federal, a 1.342m, a Chapada Imperial é uma reserva ecológica particular, com cerca de 95% de sua área preservada. Com aproximadamente 4.800 ha, a chapada fica na Área de Preservação Ambiental (APA) de Cafuringa. Esta propriedade é hoje a maior área particular preservada dentro do Distrito Federal. Reúne vegetação de cerrado, matas de galeria, caucárias, campo cerrado, campo de murundum, campo sujo, campo limpo, campo úmido, brejo e veredas. Inúmeros animais fazem da Chapada Imperial seu habitat natural e, entre eles, muitos ameaçados de extinção como, onça, lobo-guará, tamanduá-bandeira e tatu-canastra, tornando o local um santuário ecológico. Para quem gosta de fazer trilha, a região é rica em formações rochosas e cânions. Além de muito ar puro e riachos com água cristalina.

Onde fica: Rodovia DF 220, Km 9, Brazlândia
Telefone: (61)99844437 / 99652461
Site: http://chapadaimperial.com.br

10

10. Katanka

“Gosto de fazer aulas de wakeboard no lago ou alugar uma prancha de stand up paddle no Katanka, que fica no Clube das Nações. Essas duas atividades enchem minha vida de prazer, além de me colocarem em contato com a água, que amo de paixão.” Carol Montiel, arquiteta e urbanista.

Para quem gosta de esportes náuticos ou quer estreitar seus laços com o Lago Paranoá, a Escola de Windsurf do Clube Katanka, com 21 anos de experiência, é uma das mais bem equipadas do mundo. Com o uso de equipamentos exclusivos e metodologia moderna, alunos que nunca subiram em uma prancha de Windsurf antes podem cruzar o Lago Paranoá quase que instantaneamente. A escola funciona 7 dias por semana e o acompanhamento das aulas é individualizado. Todo o equipamento é fornecido pela escola.

Funcionamento: Todos os dias (horário agendado)
Onde fica: Setor de Clubes Sul, Trecho 4, conjunto 11, Clube das Nações
Telefone: (61) 8172-5233

11

11. Clube do Choro

“Confesso que gostava mais da construção original, mas depois da reforma muita coisa melhorou. Pra mim é a melhor casa de shows de Brasília. Os artistas são sempre bons, a casa é aconchegante e para quem gosta de música, tomando uma bebidinha, é programa bom na certa.” Alessandra Fatureto, arquiteta.

O choro, estilo musical nascido e criado no Rio de Janeiro, se espalhou por todo o país. Chegou a Brasília com a inauguração da cidade, trazido pelos funcionários públicos transferidos para a nova capital. Hoje, a cidade é sede do Clube do Choro, o mais ativo e importante do país. No Clube, as músicas de Pixinguinha, Ernesto Nazareth, Chiquinha Gonzaga, Jacob do Bandolim e Waldyr Azevedo são tocadas quase que todas as noites por interpretes famosos como, Paulinho Nogueira ou por um ilustre desconhecido. No bar, petiscos, além de cachaça, vinhos e cervejas. O Clube do Choro fica no Setor de Divulgação Cultural, entre a Torre de TV, o Centro de Convenções e o planetário.

Onde fica: SDC, Quadra 3, Bloco G, Eixo Monumental
Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 21h; sábado, das 19h às 21h.
Telefone: (61) 3224-0599.

12

12. Daniel Briand Pâtissier & Chocolatier

“É a melhor cafeteria da cidade. Sempre que possível, marco reuniões lá”. Vicente Ozumi, designer de interiores.

O Café Daniel Briand é considerado por muitos como um pedacinho da França no Planalto Central, tendo sido eleito pela revista Veja Brasília “Comer & Beber” 2012, como a melhor cafeteria da cidade. O bistrô lembra a entrada das mais antigas estações parisienses. No preparo das receitas, a casa segue fielmente a tradição francesa e muitos dos ingredientes utilizados são importados, como chocolate belga, fava de baunilha e castanhas portuguesas. A casa serve doces típicos como o chocolat chaud angevin (com casca de laranja, creme de leite e cointreau), o chausson aux pommes (massa folhada e compota de maçã) e a ruche doreé (mousse de mel e chocolate ao leite). No menu também constam salgados e é possível almoçar e jantar na casa. Para deixar o cliente ainda mais engajado no clima francês, o cardápio vem em português e francês, os garçons falam francês e jornais como o Le Monde estão à disposição.

Onde fica: CLN 104, bloco A, loja 26, Asa Norte
Funcionamento: De terça a sexta, das 11h às 22h. Sábado e domingo, das 9h às 22h.
Telefone: (61) 3326-1135.

13

13. Eixo Monumental

“Adoro simplesmente passar por este caminho. No Eixo Monumental podemos encontrar um conjunto de obras que agrada qualquer olhar, e sentir a modernidade presente na beleza do traçado e dos monumentos.” Rosane França,arquiteta e designer de interiores.

Eixo Monumental é conhecido popularmente como o “corpo do avião”, no desenho do Plano Piloto de Brasília. Estende-se por dezesseis quilômetros, fazendo a ligação entre a Rodoferroviária de Brasília (a oeste) e a Praça dos Três Poderes (a leste). Ao longo dele situam-se diversos monumentos. A porção oeste é dedicada aos órgãos do Governo do Distrito Federal, como o Palácio do Buriti (sede do governo local), o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios e a sede da Câmara Legislativa do Distrito Federal. Também a oeste, se encontram o Memorial JK e a Catedral Militar Rainha da Paz. Na parte leste, estão o Palácio do Planalto, o Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal e a Esplanada dos Ministérios, a Catedral, o Museu da República e o Teatro Nacional. No meio, dividindo o corpo do avião, a Rodoviária Central.

Onde fica: Área central do Plano Piloto

14

14. Entrequadras da Asa Sul

“Gosto muito de fazer caminhada nas entrequadras da Asa Sul e do Sudoeste. No caminho sempre há restaurantes, lanchonetes e sorveterias com peculiaridades inerentes a vários lugares e isso me atrai. Sempre experimento um novo caminho e novos sabores.” Vicente Ozumi, designer de interiores.

No espaço entre uma quadra residencial e outra de Brasília estão as entrequadras, como o próprio nome sugere. Elas são áreas verdes, geralmente repletas de árvores como, ipês, mangueiras e diversas espécies nativas do cerrado. Abrigam ainda, edificações como escolas, igrejas, centros de saúde e clubes de vizinhança. A grande maioria das entrequadras possui calçadas e proporcionam ótimas caminhadas, corridas ou passeios com animais de estimação. Há também as entrequadras comerciais. Elas abrigam requintados restaurantes de Brasília, assim como os não tão requintados, salões de beleza, lojas, bares, lanchonetes e uma infinidade de serviços para atender à demanda diária dos moradores das quadras residenciais.

Localização: Entre as superquadras Sul, Norte e Sudoeste.

15

15. Ermida Dom Bosco

“A Ermida Dom Bosco me transmite uma paz, tanto pelo local como pela vista linda que o lugar proporciona da cidade.”Cybele Barbosa, arquiteta e designer de interiores.

“Pôr-do-sol na Ermida Dom Bosco – principalmente na época da seca. A vista da cidade se transforma em uma palheta de cores vibrantes, fazendo do céu de Brasília uma obra de arte para emoldurar nossa linda cidade.” Cynthia Rondelli, arquiteta.

Tradicional monumento e ponto turístico de Brasília, a Ermida Dom Bosco é uma pequena capela em forma de pirâmide de base inclinada. Revestida em mármore branco, tem uma cruz metálica no topo. O projeto é de Oscar Niemeyer, e foi inaugurada em 4 de maio de 1957. O nome do lugar se deve ao padre João Belchior Bosco, que em 1883 teria sonhado com o surgimento de Brasília, entre os paralelos 15º e 20º. Está localizada exatamente sobre o paralelo 15º. Localizada às margens do Lago Paranoá, junto à QL 28 do Lago Sul, o local oferece visão privilegiada da área central de Brasília, com destaque para o Palácio da Alvorada.

Onde fica: QL 28, Lago Sul.
Funcionamento: Segunda a sexta, das 6h às 20h. Sábados, domingos e feriados, das 8h às 20h.
Telefone: (61) 3367-4505

Por Anderson Andrade e Thatyane Nardelli, da Agenda KB Comunicação

Cadastre-se e receba novidades

Quer ficar sabendo sobre promoções, notícias e informações do CasaPark?

Cadastre-se